3 dicas para eliminar as suas dívidas

60,1% dos brasileiros possuem dívidas atualmente, esse número tem crescido cada vez mais. Infelizmente! Os dados divulgados em Janeiro pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) considerou esse percentual entre famílias. Pode-se considerar isso como um regresso para a população, afinal quanto mais os brasileiros se endividam menos a economia cresce no país. 

O nível de inadimplentes entre dezembro e janeiro cresceu gradativamente. Totalizando 22,9% em janeiro. Resultado triste para a economia brasileira. Esse fator é extremamente preocupante, pois informa características negativas do brasileiro. É nítido que falta educação financeira na grande maioria da população, algo que acrescentaria e muito na vida de cada cidadão.

Apurando estes resultados, resolvemos separar algumas dicas para você que está endividado eliminar as dívidas. Portanto separe, uma caneta e um papel e anote essas dicas e aplique-as no dia a dia.  

dívidas

Conheça 3 dicas que vão te ajudar a eliminar suas dívidas

Mapeie seu orçamento

Saiba a importância de mapear o seu orçamento, você terá conhecimento de todas as despesas que teve e pode ponderá-las para que não ultrapassem a sua renda. É imprescindível que você tenha anotadas todas as suas dívidas e gastos, sejam eles de baixo e alto valor. 

Anote até mesmo os pequenos gastos, como: café, gorjetas, balinhas ou água. Com isso, você consegue um controle abrangente de todas as despesas. Acredite você se surpreenderá ao saber que de gasto em gasto você terá no total custos altos que você pode diminuir ao longo do tempo. 

Uma dica é baixar gratuitamente uma planilha de orçamento mensal, que vai ajudar você no controle do seu orçamento. 

Liste todas as suas dívidas

Como falamos acima, o número de inadimplente no mercado é cada vez mais alto. E com isso as cobranças também aumentam, e a melhor solução para o inadimplente eliminar suas dívidas é anotá-las. Talvez, você deva estar se perguntando: ─ anotar as dívidas? Porque? Sim, é importante que você tenha uma lista com todas as suas dívidas existentes, independente de quais sejam elas. 

Use um bloco de papel, planilha no computador ou até o celular, mas anote-as. Enumere-as em ordem de prioridade para quitar. Classifique-as em essenciais (água, luz, condomínio), bens e financiamento (parcelas, carro, casa), dívidas com taxas (cartão de crédito, cheque especial) e por último as que não possuem bens como garantia (roupas, compras).

Renegocie dívidas

Agora que as dívidas foram listadas, o orçamento foi mapeado é hora de pegar as dívidas para renegociar. É fundamental que você sempre prepare uma proposta de pagamento e seja realista e adeque ao seu orçamento. E ao listar as dívidas você terá noção de como oferecer a proposta de pagamento. 

Existe a opção de negociar pelo telefone ou chat em algumas instituições, ou você pode ir presencialmente e conversar diretamente com o gerente. 

Conclusão 

O melhor de renegociar as dívidas e eliminá-las é que você poderá utilizar os valores que antes eram destinados para este fim, em futuros investimentos. Outra vantagem, é que o seu dinheiro poderá lhe render bons retornos enquanto estiver sendo investido.

Não é porque agora não há mais dívidas, que você deve esquecer o mapeamento e a listagem. Mantenha a prática de mapear o orçamento e tenha o controle total de suas despesas, para assim, evitar o endividamento.