4 principais tendências para empreendedores de varejo em 2021

Os novos comportamentos do consumidor oferecem oportunidades de crescimento durante os feriados e até 2021.

A atual crise global de saúde mudou fundamentalmente o mundo do varejo. Empresas de todos os tamanhos estão lutando para acompanhar as mudanças dramáticas nas operações do dia-a-dia e antecipar o que está por vir. Portanto, existem oportunidades para empreendedores. Os consumidores estão se comportando de forma diferente e os varejistas estão correndo para se adaptar por meio da transformação digital e diversificando seus parceiros para atender às novas demandas dos consumidores.

1. Diminuindo o espaço físico, aumentando a variedade de produtos

Ao longo do ano passado, a presença física do varejo se transformou em novas formas, tamanhos e experiências. Mais lojas se tornaram centros de atendimento, os investimentos em grandes formatos físicos diminuíram e os varejistas tornaram-se mais focados em produtos de nicho e fornecedores locais que encurtam suas cadeias de abastecimento. Muitos varejistas estão procurando novos parceiros para aumentar a variedade de produtos ou atender a uma demanda exposta pela pandemia, como máscaras, divisórias e outros itens sem os quais os consumidores agora não podem viver.

2. Mais urgência para a visão do consumidor

O estado atual do fluxo no varejo também é uma oportunidade para startups de tecnologia que oferecem suporte ao acesso a análises e insights de compradores. Há um senso maior de urgência para entender e antecipar as interações do consumidor com os produtos. Cada interação pessoal, porque pode haver menos delas, precisa contar e servir ao propósito de envolver o consumidor a longo prazo.

3. Novas maneiras de experimentar produtos

A tecnologia de realidade aumentada (AR) pode suportar experiências “experimente antes de comprar”, que se tornarão mais comuns. No momento, os consumidores preferem menos contato com as pessoas e produtos que outros possam ter tocado. Embora não haja dúvidas de que mais consumidores voltarão às lojas à medida que os protocolos de saúde relaxam, também haverá um aumento duradouro nas compras online

Uma pesquisa da Salesforce em maio revelou que a maioria das pessoas em todas as faixas de renda espera fazer mais compras online no futuro, incluindo 71% das pessoas de alta renda. Esta tecnologia já estava mostrando sinais de crescimento antes da pandemia e oferece soluções para os desafios do varejo de hoje. De acordo com uma pesquisa Nielsen de 2019, cerca de metade dos consumidores estão dispostos a usar para avaliar produtos.

4. Crescimento em sustentabilidade e transparência

Muitos varejistas estão lançando iniciativas de sustentabilidade e analisando novamente o impacto ambiental de suas cadeias de suprimentos. Em maio, o Walmart anunciou uma parceria com a revendedora de roupas ThredUP, que combina o interesse do Walmart em sustentabilidade com a necessidade de abordar os orçamentos apertados entre os consumidores duramente atingidos pela pandemia de recessão.

Junto com o crescente interesse na reutilização, mais consumidores querem entender a origem dos produtos e como eles foram feitos. Esse tipo de transparência exige que marcas, varejistas e mercados online alinhem seus requisitos para a identificação exclusiva do produto. Por exemplo, a obtenção de códigos de barras e números de identificação autênticos deve ser considerada uma parte essencial do lançamento do produto para pequenas marcas que têm uma chance viável de atingir um público mais amplo.

Veja também: Airbnb lança organização sem fins lucrativos para hospedar pessoas em tempos de crise

Traduzido e adaptado por equipe Dinheirao.

Fonte: Entrepreneur