Como a tecnologia pode salvar o mercado de viagens

O surto de COVID-19 perturbou todos os setores, mas nenhum mais do que o setor de viagens. A receita global de viagens e turismo caiu 42% em 2020, e estima-se que 174 milhões de empregos estejam em risco no setor. Mesmo após o fim da pandemia, preocupações persistentes com a segurança podem impedir muitas pessoas de viajar

Fazer com que os consumidores se sintam seguros para viajar será a chave para a recuperação em 2021, e parece que a tecnologia pode ser a melhor maneira de fazer isso.

A Amadeus, que acredita no poder da tecnologia para salvar o mercado de viagens. Decidimos explorar isso mais profundamente encomendando uma pesquisa. Perguntamos a 6.000 viajantes do Reino Unido, EUA, Alemanha, França, Cingapura e Índia sobre suas maiores preocupações com viagens e como a tecnologia poderia ajudá-los a se sentirem mais seguros. 

Embora os resultados confirmem que a ansiedade está alta, eles também dão motivos para otimismo. Parece que a tecnologia de viagens possa ajudar muito a acalmar seus medos. 84% dos viajantes disseram que a tecnologia os deixariam mais confiantes para viajar nos próximos 12 meses, especialmente se pudesse reduzir a superlotação e facilitar o distanciamento social. 38% disseram que o papel mais importante da tecnologia de viagens era reduzir as filas e o congestionamento, enquanto 31% disseram que ela deveria reduzir a necessidade de contato pessoal.

Também pedimos aos viajantes que mencionassem exemplos específicos de tecnologia que os tornariam mais propensos a viajar. 42% mencionaram aplicativos específicos de localização que poderiam informá-los sobre surtos localizados e mantê-los atualizados com as mudanças nas regulamentações. Outros 42% disseram que dependeriam de serviços de pagamento móvel, como Google Pay e Paypal, para reduzir a necessidade de contato físico ao viajar.

Como a tecnologia pode salvar o mercado de viagens
Imagem: (Reprodução/Internet)

Curiosamente, os resultados variaram muito por idade e localização. Os viajantes mais velhos tendiam a ser mais cautelosos. 47% dos mias jovens disseram que precisariam se distanciar socialmente durante a jornada para se sentirem seguros, em comparação com apenas 27% dos entrevistados da Geração Z. 

Os entrevistados de Cingapura estavam especialmente interessados em tecnologia sem contato, enquanto os da Índia preferiam aplicativos de segurança locais. Isso demonstra a necessidade de atendimento personalizado no mundo pós-COVID.

Embora haja muito trabalho a ser feito, a pesquisa é uma boa notícia para o setor. Mostra que, ao tomar medidas específicas, as empresas podem estimular as pessoas a voltarem a viajar. Christophe Bousquet é nosso Diretor de Tecnologia. Ele explica por que isso é motivo de otimismo:

“Esta pesquisa fornece uma fonte de otimismo para o mercado, pois muitas das preocupações dos viajantes podem ser abordadas pela tecnologia disponível agora, em cada estágio da experiência do viajante. Quer se trate de novos aplicativos móveis, biometria ou soluções sem contato, precisamos explorar juntos como um mercado e com os governos a melhor maneira de acelerar a adoção se quisermos encorajar viagens globais, que é um grande impulsionador da prosperidade global. ”

Veja também: GPS offline, por que ninguém merece ficar perdido

Traduzido e adaptado por equipe Dinheirao.

Fonte: Business Mole