Monulparivir, o medicamento que interrompe “completamente” a propagação do coronavírus em 24 horas

Esse antiviral pode evitar que os portadores do vírus desenvolvam sintomas graves e transmitam a doença, além de conter surtos locais em um único dia, segundo estudos.

A vacina COVID-19 pode significar o fim da pandemia, mas embora a vacinação em massa não esteja disponível, é vital para interromper a transmissão na comunidade. O novo antiviral MK-4482 / EIDD-2801 ou Molnupiravir, conseguiu suprimir “completamente” a transmissão do coronavírus em apenas 24 horas, segundo estudos do Instituto de Ciências Biomédicas da Georgia State University.

“Esta é a primeira demonstração de uma droga disponível por via oral que bloqueia rapidamente a transmissão do SARS-CoV-2, então pode ser uma virada de jogo”, explicaram os pesquisadores no trabalho publicado na revista Nature Microbiology

O medicamento antiviral foi desenvolvido na Emory University em Atlanta pela empresa de inovação farmacêutica Drug Innovation Ventures at Emory (DRIVE), licenciada pela Ridgeback Biotherapeutics, que se associou à Merck & Co. Molnupiravir foi originalmente desenvolvido para tratar a gripe e prevenir o vírus de fazer cópias de si mesmo, criando erros durante a replicação do RNA viral.

Os especialistas detalham que foram realizados testes em furões e observou-se que eles apresentaram redução na quantidade de partículas virais. Em seguida, esses furões foram colocados com outros que não haviam sido tratados. Nenhum dos furões do segundo grupo foi infectado com COVID-19.

Monulparivir, o medicamento que interrompe "completamente" a propagação do coronavírus em 24 horas
Foto: (Reprodução/Internet)

“Acreditamos que os furões são um modelo de transmissão relevante porque espalham facilmente o SARS-CoV-2, mas na maioria das vezes não desenvolvem uma doença grave, que é muito semelhante à propagação do SARS-CoV-2 em adultos jovens, ” ele disse. Dr. Robert Cox, um pós-doutorado no grupo Plemper e co-autor principal do estudo.

“Observamos desde o início que o MK-4482 / EIDD-2801 tem amplo espectro de atividade contra vírus de RNA respiratório e que o tratamento oral de animais infectados com a droga reduz a quantidade de partículas virais espalhadas em várias ordens de magnitude, reduzindo drasticamente a transmissão. Essas propriedades fizeram do MK-4482 / EIDD / 2801 um candidato poderoso para o controle farmacológico da Covid-19 ”, acrescenta o relatório.

Se esses dados baseados em furões forem traduzidos para humanos, os pacientes da Covid-19 tratados com o medicamento podem se tornar não infecciosos 24 horas após o início do tratamento.

O medicamento pode ser tomado por via oral e o tratamento pode ser iniciado precocemente para um benefício potencial triplo: inibir o progresso dos pacientes para doença grave, encurtar a fase infecciosa para aliviar o custo emocional e socioeconômico do isolamento prolongado do paciente e conter rapidamente surtos locais.

O molnupiravir está atualmente em ensaios clínicos avançados de fase II / III. Ele está sendo testado em três doses diferentes a cada 12 horas por cinco dias em pacientes com SARS-CoV-2.

Veja também: Economia do Brasil se recupera no terceiro trimestre

Traduzido e adaptado por equipe Dinheirao.

Fonte: Financial Post