Peso mexicano supera no mercado morno da América Latina; Real cresce

O peso mexicano saltou na terça-feira, enquanto outras moedas latino-americanas se mantiveram estáveis ​​em relação ao dólar. O peso mexicano supera os mornos mercados latino-americanos, com os investidores equilibrando as esperanças de um novo estímulo econômico com as preocupações sobre uma pandemia de coronavírus ressurgente.

O peso mexicano firmou 0,4%, para negociação a 19,7761 por dólar, apesar dos preços mistos do petróleo. A comissão de câmbio do país disse na segunda-feira que realizará dois leilões de dólares, totalizando US $ 3 bilhões, usando sua linha de swap com o Federal Reserve dos EUA, com o objetivo de aumentar a liquidez.

Em termos gerais, os mercados mundiais pararam após uma recuperação recente, enquanto os investidores aguardavam o progresso do pacote de estímulo dos EUA, enquanto a incerteza em torno de um acordo comercial pós-Brexit e do orçamento da União Europeia pesava no clima.

Real se mantém

O real do Brasil se manteve perto de uma alta de 6 meses antes de uma reunião do banco central, onde os legisladores devem manter a taxa Selic em uma baixa recorde de 2,0%.

Os dados, no entanto, mostraram que a inflação no país superou a meta oficial do banco central para o fim do ano, dando peso às expectativas de que o ciclo de aperto monetário começará no próximo ano e antes do previsto.

As ações listadas em São Paulo subiram com a processadora de alimentos BRF SA subindo 9% depois que ela disse que pretende investir cerca de 55 bilhões de reais nos próximos 10 anos para expandir seus negócios.

O peso do Chile ficou próximo da maior alta em um ano, depois que o banco central deixou as taxas de juros estáveis ​​em 0,5%, em linha com as expectativas do mercado. A província argentina de Buenos Aires estendeu um prazo já adiado até 4 de janeiro para que os detentores de títulos concordem em um acordo para reestruturar cerca de US $ 7 bilhões em dívida externa, disse o governo local em um comunicado.

Veja também: Neoenergia da Iberdrola paga R$ 2,5 bilhões pela CEB do Brasil

Traduzido e adaptado por equipe Dinheirao.

Fonte: Financial Post