PetroReconcavo especula IPO do petróleo em meio a um boom de negócios, dizem fontes

A produtora brasileira de petróleo onshore PetroRecôncavo está explorando uma oferta pública inicial, disseram três fontes, em um movimento que ilustra a sede das empresas por fundos em meio a um aumento nas vendas de ativos no setor de petróleo e gás do Brasil.

No que seria apenas o segundo IPO do petróleo no Brasil desde 2011, a empresa sediada em Salvador está trabalhando com a consultoria financeira Lazard Ltd na possível listagem na bolsa de valores de São Paulo, disseram as fontes, que pediram anonimato para discutir assuntos privados.

Uma das fontes destacou que a decisão de abrir o capital não é iminente e que a empresa pode simplesmente contar com financiamento bancário para quaisquer necessidades de capital futuras, visto que está de olho em potenciais aquisições. A PetroRecôncavo não respondeu aos pedidos de comentários. Lazard não quis comentar o assunto.

Desde o seu início, a indústria do petróleo no Brasil foi dominada pela Petrobras. No entanto, a Petrobras está vendendo centenas de ativos – incluindo campos de petróleo legados – em uma tentativa de reduzir sua pesada dívida e aumentar seu foco na produção de petróleo em águas profundas.

Em resposta, uma nova geração de pequenas empresas de petróleo está surgindo ou expandindo os portfólios existentes em todo o país de tamanho continental por meio de aquisições.

Examinando novas terras e águas

A PetroRecôncavo, fundada na década de 1990, comprou um conjunto de campos terrestres da Petrobras no ano passado por US $384 milhões. Agora está examinando dezenas de campos de petróleo em terra e em águas rasas vendidos pela Petrobras, segundo uma fonte com conhecimento direto do assunto.

Desde junho, a Petrobras colocou vários desses ativos à venda na região natal do PetroRecôncavo, no nordeste do Brasil. A produção combinada de petróleo desses ativos é superior a 50.000 barris por dia, de acordo com os editais de licitação.

A PetroRecôncavo, cujos acionistas incluem a PetroSantander e a gestora brasileira de ativos Opportunity, é responsável por cerca de 11.000 barris de óleo equivalente por dia de produção, de acordo com seu site. Ela se descreve como “a principal operadora independente com foco em ativos onshore maduros no Brasil”.

Em novembro, a menor, recém-formada 3R Petroleum Oleo e Gas SA abriu o capital na primeira IPO de petróleo no Brasil em quase uma década.

Se a PetroRecôncavo finalmente optar por um IPO, provavelmente será uma das maiores empresas de petróleo brasileiras de capital aberto, com apenas a Petrobras, e a Petro Rio SA e a Enauta Participações SA, com foco no mar, produzindo mais petróleo no momento.

Veja também: 5 dicas para eliminar distrações em seu negócio

Traduzido e adaptado por equipe Dinheirao.

Fonte: Financial Post