Vivendo de contracheque em contracheque? Você não está sozinho

Uma pesquisa constatou que 63% dos entrevistados vivem de salário em salário desde que a Covid chegou.

Quase dois terços dos americanos, 63%, dizem que vivem de salário em salário desde que a pandemia Covid-19 atingiu os EUA no início deste ano. Esse número vem aumentando desde março, de acordo com uma pesquisa realizada em outubro com cerca de 2.000 adultos norte-americanos pela empresa de tecnologia da informação Highland Solutions. 

Apenas 53% dos respondentes da pesquisa disseram que já viviam de salário em salário antes da pandemia – cerca de 10 pontos percentuais a menos do que a taxa atual. No entanto, não é totalmente devido à Covid-19. Cerca de 44% dos entrevistados disseram que viviam além de suas possibilidades antes do início da pandemia e dois terços dizem que lamentam não ter mais economias para emergências.

E para muitos, o aperto financeiro tem menos a ver com escolhas pessoais e mais com o aumento do custo de vida – incluindo alimentação, moradia, educação e despesas médicas. Os salários estagnados também desempenham um papel. Os salários reais permaneceram efetivamente estagnados em 2019, apesar da economia em expansão. Neste ano, o crescimento real dos salários foi de apenas 1,1%, de acordo com o Índice PayScale. Olhando para o prazo mais longo, o Payscale descobriu que os salários medianos, quando ajustados pela inflação, na verdade caíram 8,8% desde 2006.

E isso não parece mudar tão cedo

Embora os programas de assistência federal, como pagamentos de estímulo, benefícios de desemprego aprimorados e empréstimos para pequenas empresas tenham ajudado muitos a manter as despesas diárias, muitos outros estouraram suas economias. Quase metade dos entrevistados, 47%, disse que suas economias de emergência acabaram. Se enfrentar uma emergência de $ 500, cerca de 8 em cada 10 relatam que não serão capazes de cobrir o custo.

Em vez disso, muitos americanos estão acumulando dívidas para cobrir suas despesas. Cerca de 42% relataram contrair mais dívidas do que normalmente fariam e mais de um quarto dos entrevistados disseram que acumularam mais de R$10.000 em novas dívidas desde o início da pandemia. Um terço dos americanos solicitou (e recebeu) pelo menos um novo cartão de crédito.

Veja também: Como aumentar facilmente as vendas da sua empresa

Traduzido e adaptado por equipe Dinheirao.

Fonte: CNBC Make It