Como investir no Tesouro Direto

Com o sistema econômico brasileiro sofrendo constantes mudanças é necessário precaver-se, e a melhor opção para isso, é fazer com que o seu dinheiro trabalhe para você. E apesar de existirem diversas formas de investir, ainda há muito receio na hora de aplicar uma parte da sua renda. No entanto, isso ocorre por não saberem como fazer isso de uma forma mais rentável. 

Existem inúmeras opções para fazer com que o seu dinheiro renda mais, entre elas, está o Tesouro Direto. Esse tipo de investimento tem ganhado cada vez mais visibilidade entre as pessoas que se interessam por essa área, principalmente por ser mais vantajosa do que deixar o dinheiro parado em uma conta poupança em que as taxas de juros que fazem o seu dinheiro render podem ser baixas.

Falaremos neste artigo, um pouco mais sobre esses títulos públicos, dando informações e dicas de como investir de forma mais segura e rentável.

tesouro direto

Títulos Públicos

Os títulos públicos são emitidos pelo Governo Federal, com o objetivo, de angariar recursos para financiar atividades como: obras, educação, saúde e infraestrutura. Então, quando uma pessoa compra um desses títulos, está emprestando dinheiro ao governo e tem a garantia de que no vencimento do título, irá receber o valor investido acrescido de uma taxa de juros. Todos os títulos são emitidos pela Secretaria do Tesouro Nacional.

Tesouro Direto e sua história

Criado em 2002, de uma parceria entre o Tesouro Nacional e a BM&F Bovespa. É um título público de renda fixa, e tem como objetivo promover acessibilidade a todos. Engloba desde os pequenos até os grandes investidores. Em um relatório emitido em Junho de 2019, há mais de 4,2 milhões de pessoas cadastradas. Um crescimento de 90,0% nos últimos doze meses. Há algum tempo  atrás, o Tesouro Direto, só era disponibilizado em Fundos de Renda Fixa que eram administrados pelos bancos físicos.

Conheça mais sobre cada título no site da Secretaria do Tesouro Nacional e escolha a melhor e mais confortável forma para iniciar os investimentos.

Como efetuar a compra de títulos do Tesouro Direto

Para efetuar a compra, é necessário que você se cadastre em uma corretora de valores que seja autorizada pelo Tesouro Nacional. Qualquer brasileiro inscrito no CPF (Cadastro de Pessoa Física) pode abrir uma conta em uma corretora. Não é cobrado valor algum para a abertura de conta.

Feito isso, existem duas opções para adquirir algum dos títulos. Através de um fundo de Investimentos que invista no Tesouro Direto. As compras são efetuadas por um administrador e o comprador recebe as devidas porcentagens do lucro obtido. E a outra possibilidade para comprar, é adquirir individualmente. Você compra os títulos ou frações deles de acordo com a sua intenção de investimento.

Como obter retorno do Tesouro Direto?

O retorno é calculado, de acordo com a taxa de juros embutida ao título, somada ao prazo de vencimento: quanto maior o prazo, maior será o retorno, pois assim há mais tempo de “contagem” dos juros. Os títulos que são negociados pelo Tesouro Direto, são três no total e eles possuem diferenças entre si, principalmente no que se diz respeito às taxas. São eles:

  • Pré-fixados: São títulos cuja rentabilidade (retorno estimado) é fixada no momento da compra, protegendo o investidor de eventuais oscilações ao longo do vencimento. As Letras do Tesouro Nacional (LTN) e as Notas do Tesouro Nacional Série F (NTN-F) são pré-fixados;
  • Pós-fixados: A rentabilidade desses títulos é atrelada à Taxa Selic (taxa básica de juros). Chamam-se pós-fixados, pois a taxa pode subir ou descer, de modo que você pode comprá-lo com a Selic em 10% e resgatá-lo com a Selic acima ou abaixo do que estava quando comprou. As Letras Financeiras do Tesouro (LFT) são títulos pós-fixados.
  • Indexados à inflação: São as Notas do Tesouro Nacional Série B (NTN-B). Esses títulos pagam uma taxa de juros prefixadas mais a inflação (medida pelo índice IPCA). Esses títulos garantem que o seu retorno irá cobrir a inflação, impedindo uma desvalorização da moeda quando você resgatar.

Existem duas possibilidades de conseguir o retorno: resgatando o título no vencimento (você terá o valor que investiu somados aos juros do título, de acordo com o vencimento) ou negociando os títulos antes do vencimento. Dessa forma, você só obtém o retorno do seu titulo se o mesmo, estiver valorizado. Consulte sua corretora para não correr riscos de perder dinheiro.

Existem títulos que possuem diferentes prazos de vencimento. Com isso, alguns deles  até podem ser resgatados à  curto-prazo (geralmente em quatro anos), outros já possuem um prazo maior do que 30 anos. 

Busque mais informações sobre os investimentos em títulos, diretamente na sua corretora de valores. Existem Algumas corretoras digitais que você pode fazer o seu investimento, tais como: Rico, XP Investimentos, Modal Mais

Outra informação importante, é considerar que o Tesouro Direto não é livre do Imposto de Renda: as alíquotas podem variar entre 22,5% e 15%, rentabilizando sempre no título. Além disso, existem pequenos custos administrativos que todas as corretoras cobram, e é ideal que você procure saber mais a respeito.