Renda extra para jovens universitários

Final de ano chegando e uma nova etapa se inicia para os vestibulandos! A ansiedade de começar uma faculdade, entrelaçada com a incerteza sobre o futuro são realmente, pensamentos assustadores. A adaptação é complicada e a nova rotina de estudos também. No entanto, o maior “bicho papão” dos universitários, é sem dúvidas, a vida financeira.

A adolescência e a juventude trazem consigo uma responsabilidade dobrada, pois o seu futuro está nas suas mãos e, com uma única decisão, você pode modificar todos os sonhos e planos, podendo ter êxito absoluto ou um tremendo fracasso. Nesse artigo, vamos tratar sobre as finanças dos jovens universitários. 

É demasiadamente complicado, manter um emprego, faculdade e rotina de estudos em dia. Se você não tiver foco e muita dedicação, é possível que se perca no meio do caminho. Nem todos os jovens podem estudar tranquilamente, sem se preocupar com emprego, aluguel e locomoção.

Portanto, existe a necessidade de ter um emprego favorável a sua permanência na universidade. Por isso, é necessário produzir uma renda extra durante todo o período em que esteja na faculdade, para ajudar em todas as demandas financeiras dos estudos. 

 

universitários

Foto: (reprodução/internet)

Com o aumento do número de universitários, que saltou 81% em 10 anos, a maior oferta de bolsas do Programa Universidade Para Todos (ProUni) ou do Fies ajudou a complementar as finanças dos estudantes até o momento de pegar o canudo. Segundo o último dado Censo da Educação Superior de 2012, divulgado pelo Inep, o número de matrículas em universidades subiu, em uma década, de 3,9 milhões para mais de 7 milhões.

Na universidade, existe a possibilidade de estágios remunerados. No entanto, dificilmente os estudantes conseguem isso no início do curso. A maioria dos estágios colocam como pré-requisito ter cursado, pelo menos 40% das disciplinas obrigatórias.

Existe uma dificuldade em alguns empregos, pois, normalmente os horários de trabalho não coincidem com os horários da faculdade, principalmente para estudantes que fazem curso por tempo integral ou moram longe das suas respectivas casas.

Dessa forma, é inviável para os universitários trabalhar normalmente. Outros empregos, tiram todo o tempo que o estudante teria para estudar, fazendo com que o mesmo não se dedique totalmente ao curso. 

O ideal, não é só remediar, mas prevenir essa situação. Entre na universidade com a certeza que você terá muito trabalho, mas no final, será extremamente recompensador. Crie metas e objetivos para que tenha mais impulsionamento para efetuar pequenas atividades que irão te ajudar na sua nova rotina.

 

 Os jovens universitários recorrem a bicos para complementar renda

Portanto, se você é jovem e se enquadra nesses temas citados, atente-se! Nem tudo está perdido, sair dessa pode ser mais fácil do que você esperava. Atualmente, com o avanço das redes sociais, é mais fácil criar o próprio negócio. Essa ferramenta, faz com que o seu produto seja conhecido mais facilmente, também, possibilita o compartilhamento entre pessoas do seu ciclo social, ou até mesmo, fora dele, dependendo da expansão e proporção que ocorre, é exatamente sobre isso que vamos falar agora: Renda extra na Universidade

A cada dia, aumenta-se o número de jovens empreendedores dentro das universidades e vizinhança, para conseguir manter os custos da faculdade e também, a sua vida pessoal. Pela falta de tempo para trabalhar em horário administrativo e fixo, ou simplesmente, por falta de oportunidade, os jovens buscam desenvolver o seu próprio negócio. Todos os dias e todas as noites, um batalhão de jovens universitários enfrentam uma rotina maluca entre estudar e fazer bicos, que pode incluir até misturar monografia e pipocas no mesmo espaço. “Acordo toda manhã sem saber se vou ter grana para pagar o almoço. Só quando aperta mesmo é que ligo para os meus pais lá na Bahia”, explica o pipoqueiro universitário Luan Gonçalves, de 22 anos, que já está no 8º ano de jornalismo da Uni-BH e, uma única vez, teve de recorrer ao “paitrocínio”. O ramo alimentício é o mais procurado por jovens atualmente, pois com poucos ingredientes e pouco investimento, é possível estabelecer grandes lucros com persistência e foco na divulgação. 

Os universitários que ingressam no seu próprio negócio, conseguem em sua maioria, efetuar o pagamento das mensalidades, comprar seus livros, pagar seus cursos extras e ainda sobra um dinheiro para poder se divertir com os amigos. O negócio dá tão certo, que o dinheiro arrecadado, ajuda no planejamento da formatura e até mesmo, depois de formados, eles continuam com suas vendas, pois não tem erro! O ramo alimentício é o mais lucrativo, afirmam jovens empreendedores.